OS NOSSOS

PROJETOS e CLUBES

A F C

Autonomia e
Flexibilidade Curricular

DESENVOLVER A EUROPA DO CONHECIMENTO

Promover o desenvolvimento de uma Europa do conhecimento, a todos os níveis da educação e formação.


INTERNACIONALIZAR

Contribuir para a internacionalização e a excelência do ensino e formação na União Europeia, incentivando a criatividade, a inovação e o espírito empreendedor, e promovendo a igualdade, a coesão social e a cidadania ativa.

APOIAR O CRESCIMENTO INTELIGENTE

Contribuir para alcançar os objetivos de crescimento inteligente, sustentável e inclusivo da Estratégia Europa 2020, através do desenvolvimento do ensino pré-escolar, diminuição do abandono escolar, melhoria da formação profissional, aumento do número de licenciados na Europa, e aumento da empregabilidade de jovens e adultos.

Últimas notícIas em
ERASMUS +

Projeto UNESCO

“DEVER de MEMÓRIA- Jovens pelos Direitos Humanos”

” Os objetivos da UNESCO e os valores subjacentes ao Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal são a motivação para as várias atividades desenvolvidas, procurando “abraçar” toda a comunidade educativa, envolvendo-a neste espírito de partilha e de cooperação. Assim, as diversas ações visam articular saberes e capacidades das várias disciplinas, mobilizar instituições e comunidade educativa, extrapolando os currículos académicos, desenvolvendo valores de solidariedade, entreajuda e responsabilidade, no sentido de fomentar nos alunos a consciência cívica no respeito pelo outro e a participação ativa no sentido de construir um mundo melhor.

A filosofia e metodologia inerentes às atividades desenvolvidas têm como principal objetivo promover a reflexão dos intervenientes sobre as atrocidades cometidas em contextos históricos de ideologias extremistas/radicais para que não se repitam. Face a isto, o fio condutor do trabalho realizado continua a ser os Direitos Humanos e a Educação para uma Cultura de Paz e de Diálogo Intercultural. Ainda neste sentido, tem sido nosso objetivo continuar a ação de Embaixadoras na divulgação do nome de Aristides de Sousa Mendes, contribuindo de forma consistente e sistemática para o reconhecimento deste Humanista do Concelho, que deve orgulhar a Comunidade Local, o País e o Mundo.

Desde a certificação do Agrupamento como Escola Associada da Rede UNESCO, através das ações de Educar, Formar, Divulgar e Partilhar, damos forma a uma Vertente Educativa na comunidade escolar, principalmente dos alunos; a uma Vertente Formativa, composta por Palestras; Encontros de Autor; Formação da equipa e Viagens de Memória e a uma vertente de partilha no Acolhimento de Grupos na Casa do Passal, futuro museu, na dinamização de plataformas online e na produção gráfica/ design de material para a sustentabilidade do projeto, que visa a divulgação das temáticas abordadas e do trabalho desenvolvido, com impacto e relevância na comunidade e nos grupos de visitantes, com o foco no fio condutor e nos objetivos deste projeto – a memória da cruel realidade do holocausto, a necessidade de preservar os Direitos Humanos e a homenagem a Aristides de Sousa Mendes, tendo em vista a sensibilização dos jovens e da sociedade em geral.

Equipa UNESCO
Dores Fernandes e Josefa Reis

 

Últimas notícIas em
DEVER DE MEMÓRIA

No Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, o Clube Ciência Viva (CCV) surgiu na sequência de uma candidatura em outubro de 2018. Efetuámo-la pelo facto de termos a noção que a existência de um espaço próprio que todos pudéssemos utilizar, rentabilizar e otimizar para operacionalizar as nossas iniciativas, não só com os nossos alunos, mas abrindo as portas a toda a comunidade seria uma mais-valia para o Agrupamento. Partindo do princípio que o saber é integrador, considerámos o projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (AFC) como ponto de partida para efetuar a supracitada candidatura pois já havíamos diagnosticado algumas fragilidades que podiam ser trabalhadas em articulação com o Clube Ciência Viva. Delas destacamos:

– O reforço das atividades experimentais de contextualização dos conteúdos programáticos e orientações curriculares tendo por base os protocolos elaborados pelos professores e os existentes nos manuais para desenvolver atividades com diferentes graus de dificuldade e em diferentes graus de ensino. Assim, foi possível abranger todos os alunos.

– Promoção de saídas de campo e visitas de estudo planificadas e organizadas com a participação e envolvimento ativo dos alunos. Construção de guiões de trabalho ou de pesquisa de forma participada e para aquisição de aprendizagens significativas que envolveram várias áreas do saber.

– Desenvolvimento de períodos de funcionamento interdisciplinar com recurso à metodologia de projeto e ao desenvolvimento de Domínios de Articulação Curricular (DAC), numa perspetiva de aprendizagem cooperativa.

– Trabalho colaborativo e cooperativo entre professores, entre professores e alunos e entre alunos a fim de rentabilizar os espaços e o tempo.

– Recurso aos alunos dos Cursos Profissionais e do Curso de Educação e Formação de Fotografia (CEF) e de outros anos de escolaridade para dinamizarem atividades teórico-práticas e/ou experimentais, com colegas mais novos como por exemplo: proteção sísmica, suporte básico de vida, como bebem as plantas, realizando as reportagens fotográficas.

– Desenvolver um espaço onde todos possam:  Aprender observando e pesquisando; Aprender investigando e experimentando; Aprender construindo e explicando e Aprender articulando saberes de várias áreas disciplinares.

Em todos os trabalhos desenvolvidos, os alunos foram os constructus da sua aprendizagem. As iniciativas desenvolvidas foram organizadas de acordo com as Aprendizagens Essenciais, privilegiando-se sempre o Saber científico, técnico e tecnológico; o raciocínio e a resolução de problemas e as áreas de competências do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Do nosso Agrupamento fazem parte vários edifícios. Considerámos, pois, necessário desenvolver o CCV na Escola Básica de Carregal do Sal onde se encontra a nossa Sede e um Pólo na Escola Secundária de Carregal do Sal na qual desenvolvemos mais atividades dirigidas ao ensino secundário e à preparação dos alunos para momentos de avaliação externa.

A Coordenadora do Clube Ciência Viva,
Ana Cristina Silva Lemos Rodrigues

 

Últimas notícIas em
CIÊNCIA vIVA

DESPORTO ESCOLAR

O Desporto Escolar é uma atividade de complemento curricular, estando definido no Decreto-Lei n.º 95/91, de 26 de fevereiro, na sua atual redação, como o conjunto das práticas lúdico-desportivas e de formação com objeto desportivo desenvolvidas como complemento curricular e ocupação dos tempos livres, num regime de liberdade de participação e de escolha, integradas no plano de atividade da escola e coordenadas no âmbito do sistema educativo, desenvolvendo as suas atividade nas escolas dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e nas escolas do ensino secundário

Fonte: “Programa Estratégico do Desporto Escolar 2021-2025”

 

Últimas notícIas em
DESPORTO ESCOLAR

 “[…] Estou aqui para ensinar umas coisas e aprender outras. Ensinar, não: falar delas. Aqui e no pátio, e na rua e no vapor, e no comboio e no jardim, e onde quer que nos encontremos.”

 Sebastião da Gama, in Diário (1949)

O projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (AFC) defende que todos os alunos aprendam, respeitando o ritmo com que o fazem e diversificando os ambientes em que tal ocorre. O aluno é o construtor do seu próprio conhecimento, tornando-se a escola verdadeiramente inclusiva e o professor o interlocutor qualificado. A este cabe organizar situações de trabalho e aprendizagem, apoiar os alunos e estimular a sua reflexão, prestando-lhes um apoio direto. Desta forma, garante que os alunos adquirem aprendizagens efetivas e significativas e desenvolvem competências para responderem, com sucesso, aos desafios e incertezas que o futuro lhes reserva.

Tomar consciência da relevância de documentos estruturantes como o Decreto-Lei n.º 55/2018 de 6 de julho; a Portaria n.º 223-A/2018 de 3 de agosto; a Portaria n.º 226-A/2018, de 7 de agosto; a Portaria n.º 235-A/2018, de 23 de agosto; o Decreto – Lei n.º 54/2018 de 6 de julho; a Lei n.º 116/2019 de 13 de setembro; o Despacho n.º 6478/2017 de 26 de julho (Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória); os vários documentos que regulamentam as Aprendizagens essenciais; o Projeto Educativo do Agrupamento; o Regulamento Interno do Agrupamento; a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania e a Estratégia de Educação para a Cidadania do Agrupamento  é fundamental. Este é o ponto de partida para a construção de documentos próprios que respondam às potencialidades do Agrupamento e combatam as suas fragilidades, sendo igualmente  o pilar  capaz de sustentar as suas boas práticas.

“Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.”

Paulo Freire

 

Últimas notícIas em
Autonomia e Flexibilidade Curricular

Ana Cristina Silva Lemos Rodrigues - Coordenadora
Anabela Figueiras dos Santos Batista
Dina Maria Fernandes Linhares
Isabel Maria Campos Ferreira Reis Pessoa
Lúcia Margarida Morgado Lopes
Maria Cristina Silva Gonçalves Sousa
Maria Elisa Ribeiro Borges
Maria Graça Tavares Pimenta
Maria Nazaré Sousa Leite Mendes Brito
Paula Raquel Rebelo Correia
Teresa Maria Pereira Rebelo