Oferta formativa 2018/2019

  • Clique para saber mais...

  • Clique para saber mais...

Webmaster

Webmaster

quinta, 08 março 2018 10:29

       No dia 5 deste mês realizou-se, em Penalva do Castelo, a sessão distrital do Parlamento dos Jovens do Ensino Básico.

       Entre as 25 escolas presentes, a nossa esteve muito bem representada por alguns dos nossos alunos: o Pedro Figueiredo, do 8ºD, destacou-se como Presidente da mesa e dirigiu, com toda a determinação e mestria, os trabalhos da sessão durante todo o dia, ao lado de entidades da política nacional; as deputadas Laura Sousa, do 9ºB, Beatriz Gomes e Matilde Lima, do 9º A, evidenciaram-se como deputadas e ficaram apuradas, com todo o mérito, para representar o círculo eleitoral de Viseu, na Sessão Nacional que se vai realizar em abril, na Assembleia da República. O Miguel Costa, do 9ºA, também esteve bem como repórter.

       Para a nossa escola é um orgulho ter jovens empenhados e dedicados, que abraçam um projeto e tudo fazem para o concretizar com sucesso. PARABÉNS aos alunos envolvidos nesta atividade.

Prof. Helena Farias

sexta, 02 março 2018 14:21

No dia 10 de fevereiro, no âmbito do projeto UNESCO, o Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal recebeu a generosa oferta da Sousa Mendes Foundation, pela mão da Drª. Mariana Abrantes (membro desta fundação) de 25 exemplares do livro "My Sister’s Eyes" da autoria da norte-americana Joan Halperin, cuja família foi salva pelo visto de Aristides de Sousa Mendes. Estes exemplares, dirigidos a alunos do 3º ciclo e secundário, foram distribuídos pelas Bibliotecas Escolares do Agrupamento e Biblioteca Municipal.

   Assim, no dia 23 do corrente mês, os referidos exemplares foram entregues às respetivas bibliotecárias, Dr.ª Rosa Maurício e Dr.ª Célia Cortez, numa sessão solene presidida pelo Diretor do Agrupamento, Dr. Hermínio Marques, coadjuvado pela Dr.ª Aldina Carvalho, membro da Direção. Nesta cerimónia, estiveram presentes a Coordenadora da Escola Básica Aristides de Sousa Mendes, Dr.ª Eunice Santos, a Diretora de turma Dr.ª Paula Susana, que acompanhou a turma do 9ºB, a Dr.ª Lurdes Cruz, docente da Disciplina de Inglês e as coordenadoras do Projeto UNESCO. Foram honrosas as palavras dirigidas pelo Diretor do Agrupamento em relação à iniciativa e a todo o processo, agradecendo a generosidade desta oferta à autora do livro e à Sousa Mendes Foundation, às quais se seguiu uma contextualização histórica e se apresentou a filosofia de trabalho desenvolvida no âmbito do projeto UNESCO, seguindo a linha orientadora da Escola Superior de Estudos do Holocausto do Yad Vashem, em Jerusalém, pelos membros da equipa Dr.ª Dores Fernandes e Dr.ª Josefa Reis, que frequentaram formação superior nesta temática na referida instituição.

   Desta forma, pretende-se que o livro seja motivo de um trabalho interdisciplinar orientado por um guião de exploração da obra, fornecido pela autora e adaptado segundo as diretrizes  pedagógicas deste projeto na sua exploração didática, envolvendo o estudo do Holocausto e o ato humanista de Aristides de Sousa Mendes, numa filosofia do “Antes”, “Durante” e “Depois” do Holocausto (SHOA). Irá realizar-se um trabalho interdisciplinar de leitura e análise da obra com a intervenção das disciplinas de Inglês, Educação Visual e História, orientado pelas docentes Lurdes Cruz, Josefa Reis e Cristina Varanda, respetivamente, envolvendo os alunos da turma B do 9ºano, que será apresentado no final do ano letivo, na presença da autora.

A Equipa UNESCO

Dores Fernandes e Josefa Reis

quarta, 28 fevereiro 2018 14:56
segunda, 26 fevereiro 2018 14:24

A Ajudaris é uma associação particular de caráter social e humanitário, de âmbito nacional, que luta diariamente contra a fome, a pobreza e a exclusão social. Esta associação promove, anualmente, um concurso literário denominado «Histórias Ajudaris», que tem como intuito contribuir para fazer crescer o gosto pela leitura, escrita e arte, em simultâneo com a vontade de ajudar os que mais necessitam, e assim fazer diferença no dia a dia de centenas de crianças.

   No ano letivo anterior, respondendo ao desafio da biblioteca escolar e sob orientação da professora de Português Elisa Morais, a turma do quinto ano da Escola Básica Aristides de Sousa Mendes, este ano o 6.º E, participou neste concurso com o poema «Família, um ninho de amor», tendo o mesmo sido selecionado para integrar um dos livros deste projeto.

No passado dia 3 de fevereiro, teve lugar a festa de lançamento do referido livro na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu, que esteve repleta de alunos autores e respetivas famílias e professores solidários.

O 6.º E marcou presença com a interpretação de um rap, adaptado a partir do poema, criado sob a orientação da professora de Educação Musical e Diretora de Turma Anabela Duarte. O rap foi acompanhado de uma apresentação multimédia, onde estavam representadas, através do desenho, as famílias dos alunos da turma. Os alunos cantaram e encantaram!

A aluna Madalena Jesus da mesma turma também esteve muito bem no seu papel de apresentadora da gala.

Parabéns a todos os participantes, que com empenho e espírito solidário ajudam a acontecer esta iniciativa nobre!

 

segunda, 19 fevereiro 2018 17:08

Mais uma atividade do PAA concretizada com sucesso: o famoso baile de Carnaval da Educação Pré-Escolar. No dia 8 de fevereiro, no período da tarde, as crianças e adultos vieram disfarçadas/mascaradas de casa e, no pavilhão da EBNA, realizaram um baile de máscaras ao som de diversas músicas. As crianças do JI Angelina de Sousa Mendes também realizaram um baile de Carnaval na sua escola. Foi uma tarde divertida, alegre e onde reinou a boa disposição. Dançou-se ainda a tradicional Dança dos Cus do Carnaval de Cabanas de Viriato.

segunda, 19 fevereiro 2018 16:56

No âmbito do programa American Shelf, a turma 9.ºA, responsável pela dinamização deste centro de recursos no AECS, realizou uma atividade de promoção da leitura em língua inglesa durante o primeiro período do presente ano letivo. Os/as alunos/as selecionaram livros da biblioteca disponibilizada pela Embaixada dos Estados Unidos, tendo apresentado trabalhos sobre os/as autores/as e a obra aos/às colegas.

quinta, 01 fevereiro 2018 15:47

No dia 23 de Janeiro de 2018, a nossa escola recebeu a 1ª Concentração de Boccia, no âmbito do Desporto Escolar.

Na competição participaram sete equipas: ES Carregal do Sal, ES Molelos, ES Dr José Lopes Oliveira (Mortágua), EBS Eng. Dionísio Augusto Cunha (Canas de Senhorim), EB Caramulo, EB Santa Comba Dão e EB Tondela.

Parabéns aos nossos alunos e a todos os participantes.

Um agradecimento especial a todos que contribuíram para que esta Concentração tenha decorrido de forma positiva.

quinta, 01 fevereiro 2018 14:52

Durante o 1.º período, as turmas 9.ºA e 9.ºE iniciaram um intercâmbio epistolar em Inglês com alunos/as de uma escola de Marrocos. A iniciativa surge no seguimento da participação da docente de Inglês das turmas no curso IVLP (International Visitor Leadership Program), promovido pelo Departamento de Estado norte-americano, em 2014. Os/As alunos/as das turmas envolvidas estão a corresponder-se com alunos/as de uma escola em Marrocos, fruto da parceria estabelecida com o respetivo docente, que frequentou o mesmo curso nos EUA. As turmas já receberam as primeiras cartas, tendo os resultados superado as expetativas. Os/As alunos/as envolvidos/as no projeto mostraram grande empenho e responsabilidade e, neste momento, já contactam com os/as colegas em inglês através de redes sociais, o que constitui uma mais-valia acrescida.

quinta, 01 fevereiro 2018 14:38

A exposição ”MEMÓRIAS num tempo…100TEMPO”que se encontra no Museu Manuel Soares de Albergaria, de 24 de janeiro a 7 de março, é constituída por uma série de 60 fotografias que contextualiza o tema da 2ª Guerra Mundial e do Holocausto, e que se encontram divididas em 3 tempos históricos distintos: Antes, Durante e Depois.

Assim, nesse contexto, convidamos o observador a visitar a exposição em epígrafe, que tem como objetivo central evocar o dia 27 de janeiro de 1945, dia em as tropas soviéticas libertaram de Auschwitz cerca de 7 mil prisioneiros, entre estes 500 crianças. Este dia foi consagrado pela ONU como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

 

ANTES

A Alemanha integrava antes da chegada de Hitler ao poder, em 1933, uma numerosa comunidade judaica (cerca de meio milhão de pessoas) que se sentia alemã, perfeitamente integrada na nação e que contribuía para a riqueza do país com o seu trabalho e dedicação.

Após a implementação do regime nazi e no âmbito do antissemitismo, os judeus foram expulsos da função pública, interditos do exercício de profissões liberais e instituído o “numerus clausus” no acesso à universidade.

Em 1938 adotaram-se as Leis de Nuremberga que tinham como objetivo a “proteção do sangue e honra dos arianos”, pelo que os alemães de origem judaica viram-se privados da nacionalidade e foram proibidos os casamentos entre arianos e judeus.

Esta segregação continuou e em 1938 foram confiscados os bens dos judeus e liquidadas as suas empresas. Na noite de 9 para 10 de novembro iniciou-se a destruição de Sinagogas e lojas de judeus no célebre Pogrom “Noite de Cristal” e passou a ser obrigatório o uso da estrela de David, tendo sido proibida também a frequência de lugares públicos.

No contexto da crise dos anos 30, verificou-se um fluxo emigratório de portugueses, na ordem das dezenas de milhar, com destino a França, o que justifica o recrutamento de mão-de-obra civil para o esforço de guerra do III Reich, após a ocupação deste território pelas forças nazis.

 

DURANTE

No desencadear da Segunda Guerra Mundial o antissemitismo tomou uma feição mais cruel. Com o início do conflito pôs-se em prática um plano de destruição do povo judaico que se saldou no genocídio de 6 milhões ou mais de judeus. Perseguidos e vexados nas ruas, foram aprisionados nas suas casas e encurralados em guetos a partir de 1940. A “solução final do problema judaico”surgiu em 1942 (Conferência de Wannsee), deportados para campos de concentração, localizados principalmente na parte oriental, os designados campos de trabalho, acabaram por se transformar em campos de morte, quer pelas carências alimentares e de higiene, quer pela brutalidade do trabalho forçado, pelas execuções sumárias e pelo massacre das câmaras de gás.

Nestes campos de concentração e de extermínio pereceram milhões de judeus, mas também ciganos, negros e eslavos cujo único crime era o de não terem nascido arianos.

Deste período, expomos a “Janela IN(discreta)” uma composição artística da autoria de Josefa Reis e que retrata a viagem a Auschwitz realizada em 2014, pelas docentes Dores Fernandes e Josefa Reis, no âmbito do projeto “Comboio da Memória” dinamizado pela docente Isabel Vicente, do Agrupamento de Escolas de Pombal e ao qual o nosso Agrupamento se associa enquanto projeto UNESCO, envolvendo alunos e professores na 3ª edição “Comboio da Memória-2018”.

DEPOIS

Os sobreviventes deste horror viveram de forma distinta este acontecimento trágico do seu povo, muitos perderam familiares e amigos, todos carregavam no seu espírito o trauma da Shoá. Como ultrapassá-lo?

O regresso à normalidade demora o seu tempo. Era necessário superar a dor e sofrimento. Os que conseguiram fugir da feroz perseguição, muitos graças à ação de benfeitores, agraciados com o título de “Justos entre as Nações” pelo Yad Vashem (Autoridade para Recordação dos Mártires e Heróis do Holocausto), do Estado de Israel, como é o caso do herói português Aristides de Sousa Mendes, refizeram a sua vida, enfrentaram o futuro com apreensão mas também com esperança.

Portugal, dada a sua neutralidade, foi um refúgio para milhares de pessoas e uma via de fuga da Europa em guerra, com destino principalmente à América, à procura de uma nova vida. Milhares de refugiados passaram em localidades como Cabanas de Viriato, terra do Cônsul, Curia, Figueira da Foz, Ericeira e Estoril, além de Lisboa.

Podemos apreciar neste período um conjunto de fotografias que faz uma súmula de acontecimentos contemporâneos e que são mote do projeto UNESCO do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, “Dever de Memória -Jovens pelos direitos Humanos”, cujo trabalho se tem desenvolvido em torno do tema dos direitos humanos, da aprendizagem intercultural e do holocausto, com enfoque central na figura de Aristides de Sousa Mendes. A exemplo disso é a partilha de momentos através de Joan Halperin, autora do livro “My sister`s eyes”, obra que retrata a história dos seus pais e irmã detentores de Vistos de Aristides de Sousa Mendes, a receção de grupos em homenagem a este “Justo” e os encontros com os seus netos, Sebastian, Gerald e António Sousa Mendes, este último autor do livro “Aristides de Sousa Mendes-Memórias de um neto”, que nos transmite vivências do seu avô e que faz parte do programa evocativo do Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto, assinalado no Agrupamento.

Será assinalado no dia 29, numa atividade designada “Caça ao testemunho”, dinamizada pelos alunos da turma do 12ºB de Humanidades, que consta na procura pela escola de testemunhos de adolescentes judeus, retratados no livro “Através de nossos olhos” e que foram traduzidos do castelhano para português pelos alunos do 12ªB, 10ºA e 10ºB, no âmbito da disciplina de Espanhol, com orientação da docente Dina Linhares.

Torna-se imperativa esta partilha, que serve como um alertar de consciências, perante este e o atual flagelo dos REFUGIADOS. A nossa esperança é a de que as gerações vindouras, interiorizem valores e um sentido de vida, para que tais horrores não voltem a acontecer e se construa um mundo de igualdade e de respeito pelo outro.

Texto-Dores Fernandes/Josefa Reis (Equipa UNESCO)

Fotos-Yad Vashem; Joan Halperin (My sister`s eyes); Josefa Reis