Coronavirus_covid19

  • Clique para saber mais...

  • Clique para saber mais...

  • Clique para saber mais...

Links_top

  •   

     

    Horário dos Serviços Administrativos
      08h30 - 12h30 

     
     
Webmaster

Webmaster

terça, 11 fevereiro 2020 15:27

Desfile de Carnaval do AECS

A equipa UNESCO deslocou-se ao Luxemburgo, de 15 a 18 de janeiro, em visita à Exposição Aristides de Sousa Mendes, um cônsul português entre a consciência humana e a razão de Estado, nos Arquivos Nacionais da cidade do Luxemburgo, para cuja inauguração a equipa tinha sido convidada pela Sousa Mendes Foundation, que colaborou na organização da mesma, oportunidade à qual se acrescentou a partilha de informação sobre o Cônsul Aristides de Sousa Mendes e sobre o projeto pedagógico Dever de Memória – jovens pelos direitos humanos, nas Escolas onde se ministra o Curso de Língua e Cultura Portuguesa, atividade planificada pelo Coordenador de Ensino Português, Dr. Joaquim Prazeres, evocando assim o 80º aniversário do ato de Consciência deste “Justo entre as Nações”.

A referida exposição, evento organizado no âmbito da presidência luxemburguesa da Aliança Internacional para a Memória do Holocausto (IHRA), teve o alto patrocínio do nosso país, a assinalar a sua recente integração nesta organização. Muito bem estruturada, de grande riqueza e diversidade de acervo, esta integra painéis sobre a relação entre ambos os países e sobretudo fontes relativas à ação de Aristides de Sousa Mendes, em Bordéus, no contexto da perseguição nazi da 2ª guerra mundial. De lembrar que a grã-duquesa Charlotte e a sua família, assim como vários membros do governo luxemburguês, receberam vistos do cônsul português aquando da ocupação nazi do seu país. Esta memória histórica de um período conturbado e a homenagem a quem foi capaz de desobedecer para salvar vidas, aproximou Portugal e o Luxemburgo. Uma ligação que advém, também, do facto de neste último país viver uma significativa comunidade de emigrantes portugueses.

Visitar esta exposição foi, de facto, um privilégio e uma honra. A receção e o acompanhamento da visita, por parte da Curadora e da responsável do serviço educativo e de comunicação, Sanja Simic, foi igualmente uma benesse memorável para a equipa. Da agenda fez parte, também, uma reunião com estas responsáveis dos Arquivos Nacionais, na qual foi feita uma abordagem sobre o trabalho desenvolvido pelo nosso projeto. Fomos, ainda, recebidas na Embaixada de Portugal no Luxemburgo, onde o Senhor Embaixador, Dr. António Gamito, nos deu as boas-vindas.

 

As palestras sobre Aristides de Sousa Mendes, no Liceu Athenée e na Associação de Pais de Ettelbruck, destinada a alunos do ensino secundário dos Cursos de Língua e Cultura Portuguesas e respetivos professores, ultrapassaram as expetativas, os jovens revelaram grande interesse e entusiasmo, demonstrados na dinâmica e interatividade criadas. O tempo agendado pareceu escasso para a apresentação das atividades dinamizadas no âmbito do nosso projeto, pois os colegas e os discentes manifestaram, igualmente, curiosidade em saber mais. Um acolhimento caloroso que nos fez sentir em casa.

No último dia, houve tempo, ainda, para a visita à Linha Maginot, na região da Alsácia, linha defensiva francesa constituída por bunkers (Casamatas), postos de vigilância e paióis de munição, na fronteira com a Alemanha, que constitui, atualmente, lugar de memória procurado pelos turistas, uma experiência muito enriquecedora.

Fica uma palavra de gratidão aos professores de Língua e Cultura Portuguesas e ao Coordenador de Ensino Português no Luxemburgo, pela amável disponibilidade e generoso acolhimento, um anfitrião que faz jus ao prestígio do povo português como muito hospitaleiro, na verdade fez-nos sentir em família.

 

Texto: Dores Fernandes e Josefa Reis

Fotos-Josefa Reis

 

quarta, 05 fevereiro 2020 15:09

Feira do Livro usado

O material educativo do nosso projeto “Dever de Memória – jovens pelos direitos humanos” conta, agora, com um jogo quizz sobreAristides de Sousa Mendes, o holocausto e os direitos humanos. 

Este jogo de tabuleiro, com 60 questões e respetivas respostas, sobre a temática do projeto UNESCO do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, “Dever de Memória - Jovens pelos Direitos Humanos” foi criado pelas coordenadoras do projeto, Dores do Carmo e Josefa Reis, com o objetivo de desenvolver uma atividade sobre os temas que constituem o foco do nosso trabalho, e que foi posto em prática no Campo de Acolhimento de Refugiados, dos dias 14 e 15 de dezembro, na Escola Básica Aristides de Sousa Mendes, em Cabanas de Viriato, a convite das colegas de Educação Moral e Religiosa Católica, dinamizadoras desta iniciativa. Nos cartões das perguntas foram utilizadas imagens, devidamente autorizadas pelos seus autores, do livro de Banda Desenhada Aristides de Sousa Mendes, herói do holocausto, José Ruy e aguarelas dos artistas plásticos Júlio Rodrigues e Josefa Reis, num arranjo gráfico e design meticulosamente criado pela professora, e membro da equipa, Josefa Reis.

Consideramos que aprender sobre o holocausto e a história do Cônsul português, que desobedeceu a ordens superiores por amor ao próximo, envolve os alunos numa reflexão crítica fundamental para o seu crescimento nos valores da empatia e da solidariedade, necessários para a defesa dos direitos humanos e para o desenvolvimento de uma cultura de paz que possa evitar atrocidades futuras.

O foco temático da escola tem de estar alinhado com a missão da Rede de Escolas Associadas da UNESCO e os seus objetivos: construir os baluartes da paz na mente dos alunos, partilhando os valores e a missão da UNESCO, com ênfase nos quatro pilares Delors - aprender a conheceraprender a fazeraprender a viver juntos eaprender a ser,  com o objetivo de promover os princípios inerentes ao Ato Constitutivo da UNESCO – sobretudo, direitos humanos e fundamentais, dignidade, igualdade de género, progresso social, liberdade, justiça e democracia, respeito pela diversidade e solidariedade internacional. Assim, este é um recurso desafiante, que proporciona uma aprendizagem interativa, potencia a comunicação e o sentimento de pertença ao grupo, traduzindo-se, por isso, numa mais-valia educativa em contexto de sala de aula, ou extra sala de aula, no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento ou de qualquer outra área do currículo.

Integrar a Rede de Escolas Associadas da UNESCO obedece os requisitos vários, tais como: participar em pelo menos um projeto global, concurso e campanha proposta anualmente pela UNESCO; celebrar pelo menos duas efemérides das Nações Unidas, envolvendo a comunidade educativa;  promover a visibilidade do certificado e o logotipo da Escola, pelo que no final deste período a Equipa UNESCO diligenciou no sentido de colocar, em todas as Escolas integrantes do Agrupamento, uma placa com o logotipo de Escola UNESCO, de modo a informar a comunidade educativa sobre a sua adesão e compromisso educacional.

Agradecemos ao professor José A. Leal, por ter, gentilmente, feito o corte das placas de acrílico e ao Senhor António José Santos pela diligência da sua afixação, nos respetivos locais.

 

Dores Fernandes e Josefa Reis

Fotos: Josefa Reis

segunda, 03 fevereiro 2020 11:35

Encontro com João Mésseder

segunda, 03 fevereiro 2020 11:27

ENCONTRO COM ISABEL ALÇADA E DANIEL COMPLETO

Com o objetivo de formar leitores e fomentar o gosto pelo LIVRO, realizou-se no dia 24 de janeiro, no Centro Cultural de Carregal do Sal, um encontro dos alunos do 1.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal com a escritora Isabel Alçada e o autor/compositor Daniel Completo.

Este encontro foi organizado pelo Departamento do 1.º Ciclo e pelas Bibliotecas Escolares.

Os autores apresentaram o seu mais recente audiolivro intitulado Cantos e contos tradicionais. Este audiolivro é destinado aos mais novos, pretendendo-se também que os pais e professores o utilizem como instrumento educativo, numa abordagem pedagógica e lúdica.

Isabel Alçada recontou alguns dos contos do livro, os quais foram, seguidamente, interpretados por Daniel Completo, com a colaboração da sua companheira de aventuras literárias. Os alunos presentes (263) também foram incentivados a participar, cantando os refrões.

Foi um encontro que agradou bastante aos alunos, docentes e assistentes operacionais, pois foi recheado de música, poesia, magia e muita animação.

No final do encontro, os autores autografaram os audiolivros adquiridos pelos alunos.

No passado dia 25 de janeiro o A.E. de Carregal do Sal participou com 32 alunos (19 da EB Aristides de Sousa Mendes e 13 da Escola Secundária de Carregal do Sal) no terceiro torneio de divulgação de Badminton da Federação Portuguesa de Badminton, organizado pelo  Clube Academia de Badminton Regional e Inclusiva da Lousã. Participaram ainda o Clube da Académica e o Clube de Oliveira de Frades.

Realçam-se os resultados alcançados pelos nosso discentes: 14 alunos ficaram nos 8 primeiros lugares, João Sousa e Maria Madalena Jesus que alcançaram o 1º lugar, Gil Batista e Carolina Marques que ficaram em 2º lugar, Mónica Barros, Constança Lopes e Mateus Gonçalves que ficaram em 4º lugar.

Para 10 alunos da EB Aristides de Sousa Mendes a participação neste torneio de badminton foi uma estreia; para todos este foi um dia de prática desta modalidade bem passado e de salutar convívio.

Está de parabéns o Clube Academia de Badminton Regional e Inclusiva da Lousã pela boa organização e pela receção feita a todos os participantes.

À Câmara Municipal de Carregal do Sal deixamos um agradecimento pela cedência do autocarro, que possibilitou a estes 32 jovens a participação neste torneio. A todos o nosso muito obrigado.

segunda, 03 fevereiro 2020 11:10

Painel Ser Voluntário é DAR-te

No âmbito do Projeto UNESCO, para assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, decorreu no dia 11 de dezembro, na Escola Básica de Carregal do Sal, a abrir as atividades designadas por Natal com Tradições, dinamizadas por este estabelecimento, um painel sobre voluntariado, constituído por voluntárias de nobres causas em países do continente africano. A partilha das suas experiências, com os alunos das turmas de 7º ano e do CEF de Fotografia, iniciou-se com a apresentação da Dra. Susana Cálix, assistente social de Viseu, que desenvolveu um trabalho de voluntariado, no contexto da ONG Leigos para o Desenvolvimento, no Bairro da Nª Senhora da Graça, em Benguela (Angola), que consistia em ensinar a comunidade a identificar problemas e a encontrar soluções, organizacionais e estruturais, relacionados com o crescimento desordenado, através de uma gestão partilhada (que chama todos a intervir), pondo ordem no caos em que viviam, uma experiência que se tem revelado muito profícua. A concluir, reportou- se a outra experiência marcante na sua vida, num campo de refugiados oriundos da República do Congo, no leste de Angola, sublinhando a situação difícil em que se encontrou para acudir à situação aflitiva desta população em fuga da guerra e da fome.

 Já a Dra. Ana Ferrão, colega do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, partilhou a sua experiência de voluntariado em Cabo Verde, no âmbito do Programa Ser + Dar + Terapeutas Sem Fronteiras, um projeto de valorização da educação desenvolvido nas Ilhas de Santiago e do Sal, regido pela solidariedade e entreajuda no sentido de fazer os outros mais capazes e mais felizes, tendo desenvolvido um trabalho de preparação e capacitação das mulheres para lidar com a deficiência de membros da família e dinamizando, também, atividades com alunos da Associação Acarinhar, formação para professores, sobre saúde e ensino, além do apoio ao domicílio e aos pais.

Por fim, o Projeto SOGA – servir outra gente com amor, sobre o qual a colega Dra. Paula Cristina Ferreira, do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho e a Dra. Margarida Coelho, fisioterapeuta da Figueira da Foz, apresentaram o trabalho que se encontram a desenvolver na Ilha de Sogá, na Guiné-Bissau, de combate à pobreza extrema, promovendo a educação, alicerce fundamental para alavancar a mudança num dos países mais pobres e vulneráveis do mundo.

A boneca CARLOTA representa as meninas da Ilha, a quem é vedada a oportunidade de estudar. Este projeto tem, por isso, o objetivo do alargamento da educação das crianças e jovens da ilha, ao custear bolsas de estudo, pois a educação é uma ferramenta essencial para a erradicação da pobreza, tendo em vista os objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Foi uma manhã enriquecedora para todos os que tiveram o privilégio de assistir. Temos a certeza de que os alunos foram “tocados” nos seus corações, compreenderam o valor do conforto em que vivem e a necessidade de se posicionarem no lugar do outro, desenvolvendo atitudes de solidariedade, de dádiva e de partilha.

Resta uma palavra de gratidão às voluntárias convidadas, que se entregaram a mais esta causa – a da partilha das suas experiências com os nossos alunos -  no sentido de formarmos consciências e contribuirmos para a construção de um mundo mais humano e fraterno, aos colegas que acompanharam as suas turmas, à Direção do Agrupamento, na pessoa do Senhor Vice-diretor, que  nos brindou com a sua amável presença e à Coordenação da Escola, que, desde o primeiro momento, acarinhou a iniciativa e zelou para que esta fosse bem sucedida. Gratidão também à colega Lúcia Morgado pela colaboração ao convidar a amiga e oradora Dra. Susana Cálix e à D. Fátima Caldeira, mais uma vez, pelo habitual generoso contributo no embelezamento da mesa.

Texto: Dores do Carmo e Josefa Reis

Fotos: Josefa Reis

O Natal convida cada pessoa a fazer uma visita ao Presépio de Belém e através dele viver momentos de alegria e amor com a família. Foi a pensar nesta festa, por iniciativa do grupo disciplinar de EMRC, que se propôs aos alunos dos 1º e 2º Ciclos das Escolas Aristides Sousa Mendes e Básica de Carregal do Sal a concretizar esta experiência, através da construção de presépios juntamente com a família, amigos e colegas, recorrendo a materiais reciclados (indo ao encontro do tema do Agrupamento).

O resultado final foi extraordinário, já que ao gosto estético se aliaram a criatividade, o uso de todo o tipo de materiais e a execução do mesmo como uma tarefa de família.

A exposição está disponível para visita em cada escola onde os alunos e famílias participaram.