Coronavirus_covid19

Links_top

  •  


        

     

    Horário dos Serviços Administrativos
      08h30 - 16h30  

     
     
     
     
quarta, 17 fevereiro 2021 09:39

Encontro para Professores Portugueses sobre o Holocausto Projeto UNESCO, Yad Vashem, Memoshoá e DGE

No âmbito do projeto educativo "Dever de Memória - jovens pelos direitos humanos" do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, a equipa UNESCO (Dores Fernandes e Josefa Reis) participou numa videoconferência, denominada “Série de encontros para professores portugueses sobre o holocausto”, na qual foi apresentada a exploração pedagógica do livro de Banda Desenhada "Aristides de Sousa Mendes, herói do holocausto", da autoria de José Ruy, no dia 26 de janeiro.

Este evento, coorganizado pelo referido projeto, a Escola Internacional de Estudos do Holocausto do Yad Vashem, a Memoshoá e a Direção Geral da Educação, contou com a presença de cerca de 170 participantes, maioritariamente professores portugueses e de vários países de língua oficial espanhola. O foco da sessão foi a referida obra, que tem sido recurso para a abordagem da temática do holocausto, no contexto da 2ª Guerra Mundial, e do ato do cônsul junto dos alunos, no âmbito do referido projeto.

Editado em 2004, aquando do cinquentenário da morte deste "Justo entre as Nações", o livro encontra-se traduzido em hebraico, francês e inglês. Lembremos que no âmbito das atividades organizadas pelo Projeto UNESCO foi criado um tributo na Escola Básica Aristides de Sousa Mendes, em Cabanas de Viriato, para assinalar os 65 anos de Memórias do patrono deste estabelecimento de ensino, com o conjunto de pranchas que compõe o livro, em tamanho A3, oferta do autor, constituindo um mural de homenagem a esta figura ímpar do nosso país, ao qual se acrescentou mais quatro pranchas de atualização referentes às homenagens desenvolvidas por vários agentes, nos anos subsequentes à edição desta BD.

No âmbito do referido projeto, a obra serviu de base para a criação de um jogo didático sobre a temática, uma forma interativa de exploração pedagógica, constituído por um conjunto de cartões de questões e respetivas respostas, acompanhado de um guião, material didático que é utilizado para consolidação das aprendizagens.

A docente Josefa Reis, na primeira parte desta conferência, focou aspetos essenciais sobre a obra e o processo de construção do jogo didático, com base em imagens ilustrativas e mais icónicas da obra atrás mencionada, enfatizando a importância da estrutura da comunicação, dos conteúdos da sua área disciplinar e a articulação interdisciplinar entre as áreas de História e de Artes. Abordou, também, a possibilidade de utilização deste recurso no desenvolvimento da temática dos direitos humanos, no contexto da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento e/ou de outras áreas disciplinares. Sublinhou a mais-valia da componente gráfica como um caminho motivador de aprendizagens, dado que a memória visual capta muito mais facilmente a mensagem, pelo que o jogo se apresenta como uma valiosa ferramenta pedagógica, no sentido de aprender a VER, promover a reflexão e a aprendizagem dos valores de cidadania e do “aprender a viver juntos”.

Na segunda parte deste encontro foi realizada uma entrevista ao autor e artista José Ruy, conduzida por Dores Fernandes. Este designer tem publicados mais de 84 álbuns, cerca de 54 em Banda Desenhada, destacando-se entre muitas outras, Peregrinação de Fernão Mendes Pinto, História da Amadora, Os Lusíadas, Nascida das Águas e Carolina Beatriz Ângelo. Colaborou em vários jornais e revistas, tais como O Cavaleiro Andante e Seleções BD. Editou e dirigiu a 2ª série da revista O Mosquito e expôs em vários países da Europa, no Japão, na China e no Brasil. Recebeu vários prémios e distinções de mérito, a nível nacional e internacional. Tem, neste momento, a bela idade de 90 anos e continua de forma admirável e incansável a sua produção gráfica a bom ritmo, estando nesta fase a imprimir o livro em BD “Ilha Terceira, Açores, O Heroísmo de uma Vitória”.

Esta produção gráfica, como facilmente se compreende, pressupõe grande rigor baseado num dedicado e meticuloso trabalho de pesquisa e visitas as locais para “sentir” o ambiente. O talento, a criatividade do autor e a metodologia utilizada, nomeadamente a sua adaptação às novas ferramentas digitais, deram o mote para uma conversa muito gratificante e inspiradora para todos os participantes. Em jeito de conclusão, o balanço da atividade é muito positivo, o que em muito se deve à cordialidade e simplicidade do convidado, o Mestre José Ruy, a quem reiteramos uma profunda gratidão. O feedback dos participantes destacou a importância da partilha desta experiência prática de ensino, pertinente nos dias de hoje, em que se impõe o conhecimento do passado para compreender o presente e prevenir o futuro, visando a construção de uma sociedade mais justa e pacífica.

Texto: Dores Fernandes e Josefa Reis

Fotos: Josefa Reis

Ler 67 vezes