Links_top

  •   

      

     
segunda, 21 dezembro 2015 08:58

“Espiral da MEMÓRIA…uma viagem no TEMPO”.

A exposição ”Espiral da Memória...uma viagem no tempo” que se encontra no Museu Manuel Soares de Albergaria, é constituída por uma série de 63 fotografias registadas em julho de 2014, no âmbito da viagem realizada pelas docentes Dores Fernandes, Cristina Festas e Josefa Reis a Auschwitz-Birkenau, denominada “Comboio da Memória”, projeto desenvolvido no Agrupamento de Escolas de Pombal, pelas docentes Isabel Vicente, Verónica Dankova e Cristina Costa, às quais nos associámos pelo facto de nos encontrarmos a desenvolver, no Agrupamento, o Projeto “Dever de Memória- Jovens pelos direitos humanos”.

Assim, no ano em que se assinalam 75 anos sobre o ato de Aristides de Sousa Mendes e 70 anos da libertação do Campo de Concentração de Auschwitz, e dada a temática do projeto UNESCO, “Refugiados e Heróis, do Passado e do Presente”, desenvolvido este ano letivo no Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal,  torna-se imperativa esta partilha, que serve como um alertar de consciências, perante o flagelo atual dos REFUGIADOS.

Trata-se de uma reportagem sobre o atual Memorial Auschwitz-Birkenau, que se tornou um local de memória para o mundo contemporâneo. O campo de trabalho foi criado pelo governo alemão, aquando da ocupação da Polónia, na periferia de Oswiecim, mudando-lhe o nome para Auschwitz. Os moradores de um bairro desta cidade, e das aldeias em redor, foram expulsos para que fosse construído aquele que é considerado o maior campo de concentração alemão. Os habitantes judeus foram encaminhados para os guetos.

O primeiro transporte de prisioneiros chegou ao campo a 14 de junho de 1940. É indescritível o sentimento neste espaço de sofrimento de vários milhares de pessoas. O silêncio, deste espaço, transporta-nos para o passado de horror infligido pelo regime nazi nestes barracões, na época fábricas relacionadas com a indústria bélica, dormitórios, armazéns, oficinas e pelos caminhos, agora com gravilha.

A 27 de janeiro de 1945, as tropas soviéticas libertaram, deste complexo de morte, cerca de 7 mil prisioneiros, entre estes 500 crianças. Este dia foi consagrado pela ONU como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

O Secretário- Geral Ban Ki-moon afirmou: “há sinais à nossa volta que nos relembram os perigos de esquecer”. A nossa esperança é a de que as gerações vindouras, interiorizem valores e um sentido de vida, para que tais horrores não voltem a acontecer e se construa um mundo de igualdade e de respeito pelo outro.

 

                        Texto – Dores Fernandes/Josefa Reis

                                                                                                     Fotos Josefa Reis/ Dores Fernandes e Paula Teles     

Ler 1481 vezes

Mídia